Calote ideológico

Revela-se em práticas contrárias às expectativas dos eleitores sem satisfações convincentes. Entende-se porque afeta mais a políticos de esquerda do que a conservadores. Estes trabalham a favor do status quo e contam com a inércia das instituições, dos grupos de interesses com nexos consolidados e da burocracia estatal, sempre temerosa e insegura face a mudanças. Por definição, de operadores à esquerda esperam-se sacudidas nos navegadores do aparelho de estado, reorganização dos grupos de interesse com acesso privilegiado ao poder e reformas significativas nas instituições. Nunca fáceis de realizar, nem todas, nem ao mesmo tempo. Desvios em relação a compromissos anteriores, e até mesmo sua completa rejeição, provocam forte desapontamentos em tradicionais seguidores, afetados por quebra de históricos contratos sociais. Diferenças em relação ao eleitorado de um tipo ou de outro se expressam no apoio continuado dos conservadores a Angela Merkel, na Alemanha, e no repúdio da opinião democrata ao desempenho de Barack Obama, nos Estados Unidos.

Jânio Quadros talvez tenha sido o mais espetacular exemplo brasileiro de calote ideológico, tal como recebido por seu eleitorado. Dele tudo era esperado, mesmo algumas excentricidades quanto ao uso de biquínis e brigas de galo, jamais, entre outros imprevistos, uma condecoração a Che Guevara. O vira casaca de Fernando Henrique Cardoso, notório estudioso de Marx e Weber, só surpreendeu pequena parte de seus eleitores. A maioria desejava precisamente que se transformasse em polido adversário do Partido dos Trabalhadores, o que fez e em que persevera, agora com frequência desdenhando a polidez. Jânio nunca recusou o juízo de seu eleitorado, Fernando Henrique insiste na tese de que não abandonou o campo progressista, este é que teria tomado rumos de imprudente heterodoxia. Há versões de que a queda de João Goulart tenha resultado de dramático aprofundamento entre a estratégia reformista do presidente e as táticas agônicas de vários grupos de esquerda.  E Dilma Rousseff?

A discrepância entre a campanha eleitoral e o aparente sentido que deu a seu segundo mandato é óbvia. O descontentamento pontual de grande parte de seu eleitorado é genuíno e legítimo. A ausência de satisfações a quem de direito é incompreensível, as declarações de que preside novo estágio do mesmo programa popular de governo sugere, na mais caridosa das interpretações, que aposta no tempo como argumento definitivo de sua correção. E se o tempo houver pedido matrícula nas fileiras oposicionistas?

Compartilhe e Curta
RSS
Siga via E-mail
Facebook0
Google+
http://insightnet.com.br/segundaopiniao/?p=32
Twitter

11 comentários sobre “Calote ideológico

  1. Fico feliz com a notícia, dada pelo Miguel do Rosário, que v. agora vem somar, com seu blog, forças na luta pelo parto de um Brasil que faça jus a seu esplêndido povo.

  2. Seu texto é uma verdade difícil de ser contestada. Precisamos reagir.
    Parabéns pela inciativa do blog Wanderley…. precisamos cada vez mais de bons analistas, e você não poderia se omitir (apesar de sempre aparecer com boas intervenções em espaços outros).

    1. Crioulo era, originalmente, o filho do eourpeu ou africano nascido na ame9rica ou o filho de casamento inter-racial em que um dos pais era portugueas (os filhos de casamentos entre portugueses ne3o eram chamados crioulos).Durante o peredodo da Ame9rica Colonial, os filhos dos grandes aristocratas eourpeus (em especial espanhf3is) que tinham filhos nascidos em terras americanas, chamavam a seus filhos de criollo. O termo era usado como sinf4nimo para todo aquele que nascesse fora de seu paeds de origem. Na e9poca da escravatura, os filhos de escravos nascidos em solo estrangeiro tambe9m eram chamados crioulos, em aluse3o ao termo je1 utilizado muito anteriormente pelos nobres e aristocratas eourpeus. Entretanto, na Ame9rica do Norte, o termo passou a ser utilizado de modo pejorativo, para se dirigir em especedfico e1a0s pessoas ne3o brancas.No mundo lusf3fono o termo nunca teve a mesma carga negativa, sendo usado para denominar os filhos de casamentos inter-raciais (miscigenae7e3o) ou, por extense3o, as culturas nascidas do encontro entre o mundo eourpeu e o africano (como a caboverdiana ou a santomense).Esta palavra originou a expresse3o ledngua crioula para as lednguas que foram criadas nos territf3rios colonizados pelos eourpeus e que usaram uma ledngua europeia como base lexical.

    1. O Kalak este1 correto. Simplificando Crioulo siignfica apenas da terra . A rae7a de cavalo Crioulo , por exemplo, tem seu nome derivado do siignficado de que essa rae7a foi gerada aqui neste continente, em contraste com a rae7as europe9ias, como PSI e Quarto de Milha. Crioulo e9 tb uma das lednguas oficiais de Angola, que e9 uma mistura de portugueas com as lednguas nativas.Ate9 entendo a tua vontade de protestar contra o que parecia um ato de racismo, mas procure ir ale9m da superfedcie em suas credticas (inclusive as religiosas) para ne3o cometer erros crassos com esse e aparentar ignore2ncia.Apesar de suas credticas serem sofredveis, seu humor e9 bom.Abrae7os e sucesso.

  3. É preciso não esquecer que há problemas reais por trás desse calote, que esses problemas eram perfeitamente visíveis há mais de um ano, e que a corrente que poderia, hoje, dar uma resposta que não fosse o calote do Joaquim Levy estava com as rédeas da economia nas mãos. A impressão leiga, de fora, é que não havia (e continua não havendo) plano alternativo de vôo. E aí, não tem jeito. Sem dinheiro no bolso, o calote é inexorável.

    1. Te3o vendo o que de1 cutucar a one7a com vara curta ?O que Ae9cio tem cgsneouido em te3o pouco tempo e9 desagregae7e3o, exposie7e3o infatil da sua vida privada, curiosidade pelas me1gicas na meddia mineira e o que e9 muito mais grave para o seu futuro poledtico, blefar contra gente muito mais experiente.Ae9cio, rapaz, vc. tem bom gosto para escolher companhia feminina e acha que tem mesmo ? Ente3o, se aplica (ne3o ne3o, sem trocadilho mesmo) em escolher ideias que lhe tragam a possibilidade de desistir delas adiante sem que a consequeancia mais visedvel seja perder a reputae7e3o (idem). Ok !?Ente3o vai le1 garoto, vc. ainda tem muito che3o pela frente.

  4. Confirmo com todas as letra o relatado pela Sra. Sueli 23:29.Vejam o ardsbuo gerado pelo bolsa famedglia:Fim do ano passado, o garagista do pre9dio onde mora minha me3e em Copacabana, com mais de dez anos de casa, “pediu” para ser mandado embora. Disse que seu irme3o que mora em Pernambuco, e “metido coma poledtica do PT”, ganhava mais do que ele sem fazer nada.Quando perguntamos como, viemos a saber da me1gica PTralha:Somados os “benefedcios” do bolsa famedglia mais alguns do governo do estado e do municedpio que eles sempre conseguem “por fora” daria um valor maior do que ele ganharia trabalhando.Lf3gico que ne3o queria pedir demisse3o pq essa racinha, de bobo ne3o team nada, queria era ser mandado embora com todos os benefedcios.Como a sedndica evidentemente ne3o concordou com o “pleito nordestino”, comee7aram a aparecer carros riscados, amassados, peneus se esvasiavam durante a noite, etc.A solue7e3o foi a colocae7e3o de cameras de segurane7a que flagaram o sem vergonha em suas “incursf5es noturnas” e deram mais do que provas para uma justa causa que, evidentemente ne3o saiu barata, haja vista o ardsbuo nedvel de corrupe7e3o da in-justie7a do trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *