Explosão e tragédia

Restaurante situado na Praça Tiradentes, o Filé Carioca é incendiado durante a madrugada. As explosões causam quatro mortes e 17 feridos.  Um cilindro de GLP é apontado como o pivô  da tragédia. A equipe da Insight é acionada ainda naquela manhã para traçar uma ação de emergência. Como se sabe, botijões  e cilindros não explodem, mas se a instalação do GLP for mal feita, pode causar uma combustão. Dezenas de jornalistas de rádios, TVs e jornais recebem as explicações por meio da Insight e de entrevistas selecionadas do presidente do Sindigás. No fim da tarde, um programa de meia hora, ao vivo, na Globonews, debate a tragédia que comoveu os cariocas. Um especialista da tradicional Coppe (UFRJ), presente ao debate, confirma a tese do Sindigás: a provável causa do acidente foi a instalação errada. Botijões e cilindros de GLP não explodem, como garantiu também o insuspeito Corpo de Bombeiros. O dono do restaurante é apontado como o culpado. O prédio foi liberado somente em 2016. A distribuidora do  cilindro de GLP, associada ao Sindigás, é isenta de qualquer responsabilidade.

MBA da Fundação Getulio Vargas

No final dos anos oitenta, a Fundação Getulio Vargas (FGV) ainda sofria forte dependência do governo para o seu financiamento. A FGV praticamente não tinha verbas próprias. O professor Moysés Glatt teve a ideia de fazer os cursos de pós-graduação latu sensu para angariar recursos para a instituição. Pediu o apoio do diretor da Escola de Pós-Graduação em Economia da FGV, Mario Henrique Simonsen, que o estimulou a ir em frente. Glatt chamou a Insight para fazer a comunicação do projeto “MBA em Administração de Finanças”. Glatt era um trator e permitiu a Insight trabalhar livremente na criação de ideias e divulgação. Foram trabalhados a mídia espontânea, rádios, anúncios, televisão. Nunca se viu uma comunicação tão intensa no setor de educação. O resultado é que a FGV tornou-se a maior geradora de cursos de extensão do país, influenciando, inclusive, todas as duas congêneres.

Acidente aéreo da TAM

Em julho de 2007, o avião comercial da TAM (Airbus-320) não conseguiu aterrissar na pista molhada do Aeroporto de Congonhas e colidiu no galpão da TAM Express, gerando um acidente grave.

A Insight foi convocada pelos acionistas da TAM para formar a equipe de gestão de crise e desenvolver estratégias de comunicação para a companhia aérea. Iniciando no mesmo dia a estratégia de comunicação, foram mais de 96 horas trabalhando sem parar, respondendo e gerando informações para a imprensa de todo o mundo, tendo em vista a dimensão que o acidente assumiu.

Pesquisas PWC

Durante as décadas de noventa e início dos anos 2000, a Insight identificou que a Price Waterhouse Coopers (PWC), um dos gigantes do segmento de auditoria no Brasil, não produzia informação primária, apesar de ter acesso a uma das maiores redes empresariais do país. Propôs então produzir junto com a PWC sondagens empresariais. A partir de então, a Price tornou-se a maior geradora de pesquisas sobre assuntos variados, macro e microeconômicos, do setor privado brasileiro. Todas as sondagens foram produzidas pela Insight em conjunto com a PWC, cuja a área de pesquisas era dirigida pelo economista Célio Lora. A Price teve um ganho de centimetragem na mídia impressa superior ao da soma de todas as suas concorrentes.

O renascimento de uma empresa

A petroleira HRT enfrentava uma grave crise financeira no fim de 2013, após investimentos de R$ 2 bilhões na Bacia de Solimões e na Namíbia, que não geraram uma gota de petróleo. Um grupo de investidores liderado pelo empresário Nelson Tanure assumiu o comando da companhia. Ao longo de 2014, os novos gestores promoveram uma ampla reestruturação administrativa e estratégica. No entanto, sondagem realizada pela Insight junto a 20 formadores de opinião de prestígio reforçou o diagnóstico da comunicação: o nome HRT ainda remetia à antiga administração e aos maus resultados dos anos anteriores. A recomendação: era necessário criar uma marca que refletisse a construção de uma nova empresa. A Insight coordenou todo o processo de criação e desenvolvimento da marca e da nova identidade visual, além do trabalho de comunicação na mídia. Na edição de 21 de janeiro de 2015, simultaneamente ao comunicado ao mercado, o Valor Econômico noticiava o nascimento da PetroRio, uma petroleira focada na compra e operação de campos em produção e, àquela altura, com R$ 400 milhões em caixa.